06:46

Manhuaçu e região debaixo d´água; a maior enchente da história




Atualizado as 14h27

Manhuaçu, Abre Campo, Manhumirim, Matipó, Santa Margarida, Alto Jequitibá, Simonésia, Sericita, Luisburgo amanheceram neste sábado, 25/01, com ruas alagadas. A enchente que se iniciou na sexta-feira, 24/01, atravessou a madrugada isolando famílias dentro de casa e causando estragos nas cidades e na zona rural.

Anúncio

>> Leia também:

AO VIVO: Veja como está Manhuaçu e região neste momento

Anúncio

As previsões de fortes chuvas se concretizaram. Na manhã deste sábado, Manhuaçu amanheceu dividida pelo rio. Em nenhuma das pontes é possível atravessar de um lado da cidade para o outro. Já se fala na maior enchente já vista no município.

A enchente tomou as ruas laterais do rio Manhuaçu desde o bairro Ponte da Aldeia até o Engenho da Serra. Estão intransitáveis: rua de acesso a Luisburgo/Ponte do Silva (antiga Parlmalat), rua de acesso ao Parque de Exposições, trecho da Vila Deolinda (próximo ao Devaldo), rua Antônio Welerson (entrada da cidade – Pontes dos Arcos), Rua Júlio Bueno, Praça Martins Fraga (parquinho), rua Josias Breder e Fortunato de Carvalho (atrás do Estádio JK), rua Faustino Amâncio (ponte da Tinauto), rua Olímpio Vargas (perto do The Wall/Farmácia Popular), Rua Professor Juventino Nunes (trecho da Honda até o Rei da Empada), rua Desembargador Alonso Starling, Avenida Getúlio Vargas (principal do Coqueiro), rua Francisco Fialho e Avenida Barão do Rio Branco (sinal da Casa Leitão), Teócrito Pinheiro (perto do Sesi), Avenida Melo Viana (trecho da delegacia de Polícia Civil) e todas as vias e pontes adjacentes.

Muitas famílias retiraram móveis e carros, enquanto comerciantes também conseguiram retirar mercadorias de seus estabelecimentos. No entanto, em Manhuaçu, os prejuízos materiais são enormes.

Rodovias também apresentam pontos de inundação e outros locais com quedas de barreiras. Os problemas estão em todas as vias da região.

Na zona rural, a queda de barreiras e as inundações também deixaram moradores isolados.

MORTES E DESAPARECIDOS

Segundo a Polícia Militar, até 9 horas da manhã deste sábado, 25/01, os seguintes casos de mortes e desaparecimentos por conta da enchente e de deslizamentos de barrancos nas cidades da região.

O 11º Batalhão de Polícia Militar informou que, em Alto Jequitibá, Córrego da Luanda , duas crianças estão desaparecidas. Foram levadas pela correnteza.

Anúncio

Em Santa Margarida, Córrego Cachoeirinha, Daniel Henrique de Souza, 50 anos, estava dentro de casa, quando houve deslizamento. Ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu e morreu.

Em Alto Caparaó, uma criança de três anos e o pai e mãe dela encontram-se desaparecidas depois que uma represa levou sua casa com a família dentro.

Anúncio

Em Pedra Bonita, morreu Marlene Aparecida Ferreira do Carmo, 34 anos. O marido contou que residem no Córrego do Café e estavam deslocando pela estrada na zona rural, quando houve um deslizamento de terra, vindo a cair sobre a vítima Marlene, que morreu.

Outros dois casos de soterramento com mortes em Pedra Bonita estão sendo apurados.

Em Luisburgo, no Córrego Pedra Dourada, um grande deslizamento de terra soterrou uma casa com duas pessoas. Sidney e seu filho Sidmar. O local está intransitável e não tem como chegar lá. Há possibilidade de terem morrido, mas não foi possível confirmar ainda.

Também estão sendo apuradas informações sobre mortes / desaparecimentos em Simonésia.

PLANTÃO DE SAÚDE

Além da UPA e do Hospital César Leite, como a cidade de Manhuaçu foi dividida em duas, a Secretaria de Saúde montou um pronto atendimento para atender as urgências e emergências da população no antigo SUS, no bairro Todos os Santos.

MANHUMIRIM E REGIÃO

A região de Alto Jequitibá, Alto Caparaó, Caparaó, Espera feliz e Manhumirim também foram muito afetadas com a enchente. Casas e comércios foram destruídos. A cheia dos rios atingiu comunidades inteiras.

Em Manhumirim, a água tomou todas as ruas nas adjacências do Rio Jequitibá, na extensão do centro da cidade.

Divulgação