09:00

Comunidade de Sant’Ana, em Pequiá, no Espírito Santo reergue Cruzeiro no morro da antena




De acordo com os ensinamentos Católicos, Jesus escolheu o caminho da Cruz para salvar a humanidade e manifestar o amor da Santíssima Trindade pelos homens.

Para os católicos, a cruz, como lugar do sacrifício de Cristo, é o princípio da salvação dos homens. Por isso, diz o Catecismo Católico, no parágrafo 617, a Igreja a venera professando nela sua esperança: “Salve, ó Cruz, única esperança”.
E como forma de manter viva e fortalecer essa tradição católica, a comunidade de Sant’Ana, da Paróquia de São Paulo Apóstolo, em Pequiá, no Espirito Santo reergueram o Cruzeiro que existia no morro campo e havia caído anos atrás após ação do tempo e de queimadas.

De acordo com Ana Maria da Silva Nora, a instalação do Cruz original em 1979 foi após a visita dos padres redentoristas de Nossa Senhora Aparecida, que durante uma visita da imagem da Padroeira do Brasil, ao Espírito Santo, a comunidade ficou sabendo que a comitiva ia passar pela BR 262. “Então na época eles se organizaram e programaram esperar a comitiva passar pela rodovia, mas a passagem foi mais do que eles esperavam. Os padres param junto ao povo e vieram até a praça central aqui de Pequiá, com a imagem Original de Nossa Senhora Aparecida e para nós, foi uma benção muito grande, pois éramos apenas uma capelinha, que nem comunidade havia se formado”, conta Ana Maria.

Ela conta que Padre Lino e Padre Costa faziam parte da Missão e incentivou a instalação da Cruz, que originalmente foi instalada, um pouco mais abaixo, próximo ao campo de futebol. “A comunidade se uniu construíram a cruz e a colocaram num local que se via de quase todos os pontos da cidade, mas infelizmente com o passar dos anos ela caiu”, relata.

Outro morador da comunidade, é o vereador Júlio Maria. Segundo ele, quando da instalação da cruz original, ele tinha 14 anos e lembra que foi um momento festivo para a comunidade católica de Pequiá. “ A comunidade juntou e trouxe a cruz pra cá com a ajuda de várias pessoas, inclusive meu pai, que já faleceu, trouxeram ele nos braços e o instalaram ali embaixo, e era maior que esse”, relata.

Padre Olimpio Andrade Sobrinho explica que a cruz foi recuperada das partes da cruz original e ele representa uma vitória da vida.
“A Cruz é vista como a glória de Cristo. A sua glorificação começa na Cruz – sinal da nossa salvação. A cruz tem um profundo significado de obediência e fidelidade de Cristo ao projeto do Pai. Ele esvazia-se de Si e por amor entrega-se à humanidade. A Cruz é também esse grande sinal de entrega de amor que possibilitou a nossa salvação”.

De acordo com o padre, os católicos devem olhar para a Cruz, sobretudo, como sinal de esperança; nisto consiste o seu sentido. Uma esperança que, segundo o sacerdote, culmina na fé na vida eterna. “Este caminho da salvação, por meio de sua morte redentora na Cruz, é a maneira pelo qual Ele [Jesus] nos salva e nos convida a acreditar Nele e ter a vida eterna”, enfatizou padre Olímpio.
Localiza atualmente em ponto estratégico, no alto do morro da antena, a Cruz de madeira, pode ser vista tanto do distrito, quanto por quem passa pela BR 262.

Divulgação