agosto 31, 2019 8:47 am

SAAE esclarece revisão da tarifa de água em Manhuaçu




Depois de investir em obras e melhorias, após a mudança de cobrança na tarifa no ano de 2018, o SAAE esclarece aos consumidores o reajuste tarifário que será aplicado neste ano. O índice aplicado é de 16%. A grande parcela da população se encaixa na faixa residencial, onde os valores são mais baixos.

O SAAE é uma autarquia que vive do que arrecada, por isso existem os reajustes, a exemplo de outras cidades da região e até mesmo da Copasa, que é do Governo de Minas Gerais.

A Chefe do Setor Administrativo do SAAE Manhuaçu, Maria Aparecida Sousa, explica que o órgão regulador calculou a necessidade de um aumento na receita de 21%, que aplicado na tarifa teve uma média de 16%. “Não podemos, nem queremos subir a tarifa em uma porcentagem elevada. Até porque, 70% dos usuários em Manhuaçu e distritos se encaixam no consumo residencial, que é o consumo de até 15 m³, ou seja, a maioria da população utiliza a água para consumo humano. Salientando que, a água é um bem finito.”

Atualmente, em uma família de 4 pessoas, o consumo médio é de 5m³/mês. Em relação ao valor, sairia em média por R$18,43. Com o reajuste esse valor chega a R$22,40, um aumento de R$ 3,03. Já para a Tarifa Social, o reajuste mantém a porcentagem de 50% de desconto, que se encaixa na TBO e no valor por metro (até 10 m³), ou seja, pagam a metade.

O Chefe da Seção de Contabilidade, Áureo Adriano, explica que tudo isso é feito através de um processo criterioso. “Agora, terminado o prazo de Consulta Pública, teremos uma Audiência Pública, e depois esperamos o processo de homologação.”

A Audiência Publica acontecerá no 25/09, a partir das 18:00 horas, na Câmara Municipal, para esclarecimentos à população sobre a revisão de tarifas.

REVISÃO E COMPARATIVO

Áureo ainda lembra que não é apenas em Manhuaçu. A Copasa, os SAAEs de outras cidades, enfim, os órgãos de saneamento seguem uma normativa para que as revisões de tarifas de água sejam feitas. No caso daqui, a regra passou a ser aplicada em 2018. “No ano anterior, mudamos a forma de cobrança, passando a ser através do consumo real, junto com a TBO (Tarifa Básica Operacional). Já o reajuste de 2019, será aplicado para conseguirmos manter nossos insumos, que cresceram.”

Contudo, o SAAE ressalta que ainda assim, tem a tarifa mais baixa da região, comparando a outros municípios e com outras concessionárias de água.

INVESTIMENTOS

A compra de novos veículos para aperfeiçoar os trabalhos e a logística dos mesmos, aquisição de materiais, reservatórios e bombas, aquisição de asfalto, sistema de Telemetria, reforma da Estação de Tratamento de Água, construção de novas redes e o novo ponto de atendimento, foram os que mais se destacaram nos últimos doze meses. Mas muito, além disso, foi feito e melhorado no sistema, buscando atender os cidadãos.

Segundo o diretor da Autarquia, Luiz Carlos de Carvalho, desde que foi mudada a forma de cobrança na conta de água, os investimentos no SAAE não pararam, mas ainda há muito a ser realizado. “Nós temos investimentos que precisam ser feitos para desenvolvimento no abastecimento de água e esgoto. Por isso, se faz necessário a revisão das tarifas.”

Luiz ainda destaca o fato das redes de Manhuaçu e distritos, serem antigas. “Temos redes com mais de 50 anos. Consertamos em um local, mas depois arrebenta em outro. Estamos sempre trocando, ampliando redes para manter tudo em funcionamento. Não é somente tratar a água e levar até o consumidor. Tem todo um processo funcionando por trás.”

Lembrando que a conta de água ainda subsidia o esgoto, onde o SAAE tem um gasto em mão de obra de 75%. Isso não é cobrado do usuário.

Assessoria de Imprensa- SAAE Manhuaçu