junho 10, 2019 7:57 am

Profissionais da Educação organizam greve geral na próxima sexta-feira




Para demonstrar a preocupação e indignação com a maneira que está sendo tratada a Reforma da Previdência, os profissionais da Educação estão se mobilizando para mais uma greve, na próxima sexta-feira, 14/06. Eles pretendem ir para as ruas protestar a favor dos direitos da classe trabalhadora.

A greve geral contra a Reforma da Previdência vem sendo discutida desde o início do mês, para que a população venha participar e dizer “Não à Reforma da Previdência”. Em Manhuaçu, a Subsede do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE) está definindo como será realizado o ato público, marcado para as 14 horas, na Praça Cordovil Pinto Coelho.

Por isso, a mobilização para que todos os profissionais da área participem, está acontecendo, e ainda busca o apoio de outros sindicatos e movimentos sociais, engajados no compromisso na aposentadoria dos trabalhadores e trabalhadoras. “A reforma precisa ser feita, porém, de forma diferente. Desse jeito como está o projeto do Governo Federal, é na verdade o fim da aposentadoria, sobretudo, prejudicando os menos favorecidos”, explica o professor Luciano Lima.

Segundo informações da diretoria do Sind-UTE, o ato terá a participação de várias cidades da região pertencentes à Subsede-Manhuaçu, para demonstrar a união da categoria e articulação com outros sindicatos da região também será importante, para o fortalecimento do movimento. A Reforma da Previdência causa temor a várias categorias, que consideram que será “cruel” para todos os trabalhadores, sem distinção de categoria que podem sofrer consequências.

Para fortalecer o movimento em prol de uma luta, para defender as propostas que venham atender os anseios da classe trabalhadora, a mobilização será chamada greve geral.

Eduardo Satil