maio 3, 2019 12:47 pm

Acusado de aplicar golpe da aposentadoria em seis pessoas de Santa Margarida é preso




Policiais civis das delegacias de Abre Campo e Matipó prenderam um homem acusado de se passar por funcionário da Previdência Social e aplica golpes de aproximadamente 300 mil reais na região de Santa margarida. A ação foi nesta quinta-feira, 02/05.

Segundo a Polícia Civil, a investigação foi iniciada em agosto de 2017 para apurar as acusações de estelionato qualificado. O investigado Mauro Bezerra da Silva se passou por representante de um órgão público federal (Previdência Social), conseguiu induzir seis vítimas da cidade de Santa Margarida, causando um prejuízo de aproximadamente 300 mil reais.

O homem se aproveitava da fragilidade das vítimas, já que sempre eram pessoas idosas, humildes e de pouca instrução. Após se apresentar como representante e despachante da Previdência Social, o suspeito alegava ter influência e meios de agilizar aposentaria para qualquer pessoa.

Ele alegava que para conseguirem os resultados, os idosos deveriam custear os gastos com despesas e taxas que viessem a surgir durante a tramitação do processo de aposentadoria. Ainda segundo a PC, ele prometia que os valores pagos seriam reembolsados às vítimas assim que saísse a aposentadoria prometida.

As pessoas acreditaram na promessa do investigado, passaram a atender todos os pedidos dele quando solicitava quantias em dinheiro. Os valores eram depositados na conta corrente da esposa de Mauro.

Com a investigação em andamento, o homem foi identificado como Mauro Bezerra da Silva. A partir disso, o delegado representou pela sua prisão temporária, que foi apoiada pelo Ministério Público e concedida pela Justiça.

O suspeito foi preso na cidade de Sabará, na região metropolitana de Belo Horizonte, na semana passada.

Na segunda-feira, equipe foi até a residência do investigado em Sabará. Foi cumprido Mandado de Busca e Apreensão arrecadando mais indícios em desfavor dele.

A investigação será concluída em 30 dias e o Inquérito Policial encaminhado para apreciação do Judiciário.

A investigação foi presidida pelo Delegado de Polícia Dr. Felipe de Ornelas Caldas, com os investigadores Edson Theonas Barone, Edér Lúcio Marçal, Lucas Andrade Miranda, Camila de Moura Godinho, Paulo Lopes Bonfá, Rafaela Lopes Menezes de Azevedo, Lucas Adler Rodrigues de Brito, Ronaldo de Assis Mamédio, e as escrivãs Marlene Aparecida Coelho Silva e Jordana Patrícia Pereira Silva de Paiva.

Manhuacu.com/com informações da Polícia Civil