janeiro 15, 2019 2:15 pm

Médicos, enfermeiros e profissionais do NASF capacitam sobre tabagismo




O tabagismo é um problema de saúde crônico que se constitui na principal causa de morte evitável no mundo. Ainda que se fale e conscientize as pessoas, milhares buscam no cigarro o prazer momentâneo e, esquecem que o tabagismo mata mais do que acidente automobilístico. Muitos despertam e param de fumar gradativamente, com acompanhamento de profissionais da área de saúde.

Em Manhuaçu,o Programa Nacional de Controle ao Tabagismo (PNCT) iniciou em 2011, com o objetivo de reduzir a prevalência de fumantes e, a conseqüente morbimortalidade relacionada ao consumo de derivados do tabaco. O município vem desenvolvendo esta atividade, com grande número de pessoas que cessaram o hábito de fumar.Mas, a meta é elevar o número de pessoas a esquecer o vício de fumar. Para isso, todo um trabalho é desenvolvido em alguns ESFs, com a participação de uma equipe multiprofissional capacitada, para trabalhar nos grupos operativos.

Para avançar, médicos, enfermeiros profissionais do NASF participaram de uma capacitação nesta segunda-feira,14, no auditório da Secretaria Municipal de Saúde, para entenderam a forma adequada, a estrutura das sessões, a abordagem aos fumantes a fim de convencê-los a participar do grupo de tabagismo.

Nesse primeiro trimestre, várias unidades já iniciaram e outras estarão iniciando o programa de tratamento ao tabagismo. As atividades já iniciaram em São Pedro do Avaí, Dom Correa, Vila Nova, Matinha e São Vicente. Nossa Senhora Aparecida dia 17/01; Realeza iniciará dia 21; Bairro Catuaí dia 29/01; Bom Pastor dia 05/02; Santo Amaro 11/03; Engenho da Serra 07/02; Santana dia 07/02; Ponte da Aldeia 21/02 e Petrina 12/03. As pessoas interessadas podem procurar a unidade de cada bairro para participar do grupo.

De acordo com a farmacêutica do Núcleo de Apoio à Saúde da Família e Referência Técnica Municipal do Programa, Kellem Miranda, o trabalho tem trazido bons resultados, porém pode ter mais avanço. “Por isso estamos definindo as ações de participação dos profissionais dos ESFs, no sentido de aproximação com essas pessoas que têm o vício de fumar e, convencê-los ao tratamento”, completa a farmacêutica.

Assessoria de Comunicação SMS