janeiro 14, 2019 8:07 am

Idoso é preso após denúncia de agressão contra ex-companheira




Militares do destacamento de Santa Bárbara do Leste prenderam, na tarde deste sábado, 12/01, na Rua Padre João, no Centro de Santa Bárbara do Leste, um idoso de 70 anos.

De acordo com Sargento Gonçalves, durante patrulhamento, uma idosa de 71 anos deparou com a guarnição policial e relatou que havia sido agredida pelo ex-companheiro e que ele teria saído de casa levando alguns pertences dela. “De posse destas informações, nós fomos até a casa da vítima e confirmamos que, realmente, alguns itens não estavam na residência. Em conversa com a senhora, ela ainda nos disse que seu ex-amásio possuía uma arma de fogo.”, disse o policial.

Diante disso, os militares foram até outro imóvel, onde o homem poderia estar. Ele foi encontrado, porém negou que teria agredido a ex-companheira, mas que estaria com alguns objetos dela. “No trajeto para redigir a ocorrência, perguntamos se ele possuía uma arma de fogo. Prontamente ele confirmou a informação e ainda alegou que estava disposto a nos levar onde esta arma estaria.”, completou sargento Gonçalves.

Em diligências até o Córrego do Marreco, na zona rural de Simonésia, foram localizados um revólver calibre 22 e mais 60 munições intactas do mesmo calibre. “Ele disse que não sabia atirar. Contudo ele foi encaminhado a Delegacia de Polícia Civil de Caratinga sobre o crime de posse ilegal de arma de fogo e Maria da Penha, pela agressão contra a ex-amásia.”

Segundo o Sargento Gonçalves, tendo em vista o histórico de agressões relatado, a arma de fogo poderia oferecer risco à vida da mulher: “Ela tinha informado para a gente que se sentia ameaçada por ele ter uma arma de fogo. Aproveitando a oportunidade, a gente deixa recomendações. Às vezes alguma mulher esteja passando pela mesma situação, então, denuncie, passe esta informação para os policiais militares que nós teremos meios de retirar armas de fogo de circulação e evitar um homicídio, que agora é enquadrado como feminicídio – crime contra a mulher. A vítima, muitas vezes, se sente culpada em estar denunciando o agressor, mas isso é importante. No caso desta senhora, ela já havia sofrido agressões anteriores, entretanto não denunciou na esperança dele mudar o comportamento. A gente passa mais esta dica: não espere. Na primeira agressão: denuncie, pois assim a vítima pode estar salvando a própria vida.”

O caso foi repassado para a Polícia Civil que, a partir de agora, fica responsável por tomar as medidas cabíveis.

TV Super Canal