dezembro 29, 2018 8:12 am

Câmara de Manhuaçu devolve R$1.700.000,00 para a Prefeitura




O presidente da Câmara de Vereadores de Manhuaçu, Jorge Augusto Pereira, devolveu mais R$ 1 milhão e 700 mil reais para a Prefeitura Municipal, referentes ao ano de 2018. O pagamento foi finalizado nesta sexta-feira, 28/12. Esta foi a segunda devolução de recursos realizada na atual gestão. A primeira, no ano passado, foi de R$ 1.807.461,40. Ao todo, foram cerca de seis milhões de reais nos últimos quatro anos em que o vereador Jorge do Ibéria esteve à frente da Câmara Municipal.

Segundo o presidente, a devolução dos recursos é fruto do resultado de uma gestão planejada com economia e zelo pela coisa pública.

“Estamos cumprindo nosso papel, nossas obrigações como vereador e presidente da Casa, trabalhando com lisura, transparência e principalmente muita responsabilidade com o dinheiro público, afinal o nosso maior objetivo é poder dar uma qualidade de vida digna para a população. Tudo isso foi possível graças à compreensão dos 16 vereadores que forma a Câmara comigo. Quero agradecer a todos pelos dois anos à frente da Casa e dizer que fizemos tudo com total responsabilidade e transparência, com a certeza de que conduzimos da melhor maneira e com muito respeito pela coisa pública”, disse Jorge do Ibéria.

Para se ter uma dimensão dos recursos devolvidos, a Câmara de Manhuaçu teve um orçamento estimado em R$ 8.200.500,00 no ano de 2018. Desse valor, efetivamente, foi transferido, após entendimento com o presidente, ao Poder Legislativo a quantia total de R$ 6.370.312,48.

Ao encerrar o ano, o presidente Jorge do Ibéria finaliza com todos os compromissos pagos pela Câmara e devolveu em dinheiro o valor de R$ 1 milhão e 700 mil reais para a Prefeitura de Manhuaçu. Somados aos R$ 1.830.187,52 que estavam orçados, no total: a devolução representa R$ 3.530.187,52 somente em 2018.

Os recursos devolvidos ao Executivo na gestão da mesa diretora 2017-2018 totalizam R$ 5,3 milhões provenientes de uma gestão enxuta e comprometida com a realidade financeira do município.

Para o presidente da Casa de Leis, o número representa eficiência administrativa. “Demonstra respeito e compromisso com o dinheiro público e uma economia substancial em um período de crise. A devolução do duodécimo ao Executivo fez com que a Prefeitura tivesse condições de realizar serviços importantes, inclusive de pagar os fornecedores e o salários dos servidores neste mês de dezembro. Em períodos de dificuldade, onde nem o Estado de Minas pagou seus funcionários, isso mostra que estamos fazendo o correto”, explicou Jorge do Ibéria.

Assessoria de Imprensa