dezembro 20, 2018 7:52 am

Suspeitos de matar mulher em Santa Margarida são presos




A Polícia Civil de Santa Margarida montou uma operação na tarde desta quarta-feira, 19/12, para dar sequência às investigações relacionadas a um crime que abalou a comunidade da localidade, na noite do dia 13 de dezembro.

Edith Aparecida de Carvalho, de 24 anos, foi assassinada a golpes de faca em sua casa, na região do Córrego Vista Alegre.

Antes mesmo de cumprir os mandados de prisão, nesta quarta-feira, o delegado Felipe Ornelas conversou com o jornalismo do Tribuna do Leste, adiantando as ações que seriam realizadas na data.

“Desde que aquele grave crime ocorreu em São Domingos (distrito de Santa Margarida), as equipes da cidade seguem em apuração. Passamos o domingo, 16/12, a segunda e terça-feira rodando o município, conversando, entrevistando e fazendo levantamentos. Diante disso, conseguimos chegar ao que a gente entende que são os autores do crime (mandante e executor) e, assim, representamos ao judiciário pelas prisões, o Ministério Público foi favorável e o Juiz de Direito expediu os mandados de prisão por ter também concordado com as provas que já foram colhidas. Desta maneira nós estamos saindo agora (15h do dia 19/12) para cumprir esses mandados.”, destacou o delegado.

Foram cumpridos quatro mandados, dois de busca e apreensão e dois de prisão preventiva. Durante os trabalhos, a PC prendeu os suspeitos do crime: Neimiere – ex-companheira do marido de Edith – e Reinaldo – é ex-cunhado do esposo da vítima.

“O que foi apurado no inquérito é que a motivação do crime seria vingança. A mandante nunca teria aceitado o término do relacionamento. Há seis anos ela vem brigando com a vítima, existe o registro de várias ocorrências de ameaça e lesão corporal, e, recentemente, quando ela (Edith) comprou um veículo Corolla, igual ao dela (suspeita de mandar matar a vítima), ela teria dito a testemunhas que já teria perdido o marido, a casa e, agora, a mulher teria comprado um Corolla igual ao dela também. Ela foi vista por testemunhas na casa onde aconteceu o crime, alguns dias antes, em cima do barranco, escondida atrás de arbustos, e teria contratado o irmão para executar este crime.”, detalhou Felipe Ornelas.

O delegado caracterizou como ‘chocante’ o depoimento da criança de 03 anos que presenciou o crime: “Nós colocamos uma equipe multidisciplinar conversando com ela: psicólogo, investigadora, babá, testemunhas, que foram brincando com ela, com massinhas, giz de cera, e, depois de três horas, mostramos algumas fotografias. Quando passou o determinado suspeito ela (a criança) começou a chorar desesperadamente, furar o próprio corpo, fazendo movimentos com as mãos e falando: ‘machucou mamãe, cortou mamãe’. Daí nós perguntamos se ele tinha ido na casa dela, ela disse que sim e que teria machucado a mãe dela.”

Segundo registros, ao chegar da casa dos pais, o marido de Edith encontrou o corpo da esposa em sua residência. A vítima estava caída e apresentava vários ferimentos provocados por golpes de faca. A filha dela, de 03 anos, chorava ao lado da mãe e dizia “foi o homem que fez dodói nela”, mas sem indicar nome.

Não havia dinheiro no interior da residência e, aparentemente, somente o smartphone da vítima foi roubado.

A perícia da PC constatou que a vítima possuía ferimentos na região das costas, tronco, antebraços, peito e cabeça.

Tribuna do Leste