dezembro 20, 2018 8:04 am

OAB Manhuaçu entrega Medalha Dr. Alcino de Paula Salazar à personalidades




Em sessão solene, realizada na noite desta terça-feira, 18/12, na sede da AABB Manhuaçu, a diretoria da 54ª Subseção da OAB/MG prestou homenagens à personalidades de Manhuaçu e região com a outorga da Medalha “Dr. Alcino de Paula Salazar”. Autoridades públicas, civis e militares de toda a região prestigiaram o evento.

A honraria foi criada pela atual gestão da 54ª Subseção da OAB/MG no dia 18 de dezembro de 2017, em comemoração aos 120 anos de nascimento do manhuaçuense Alcino de Paula Salazar. O objetivo é agraciar personalidades que contribuem ou que tenham contribuído para o prestígio e a projeção dos municípios que integram a Subseção.

Em seu discurso, o presidente da 54ª Subseção da OAB/MG, Alex Barbosa de Matos, explicou que a honraria foi criada justamente com o propósito de aproximar a OAB Manhuaçu da sociedade, considerando as atividades desenvolvidas por inúmeras pessoas, de vários setores da sociedade.

“Queremos prestigiar e projetar a imagem dos municípios que compõem a nossa Subseção, além, também, é claro, de se homenagear o ilustre manhuaçuense Dr. Alcino de Paula Salazar pelo meritório trabalho realizado em toda sua brilhante carreira política e jurídica, nesta incluídos os cargos de Presidente da Câmara de Manhuaçu, Prefeito de Manhuaçu, Presidente do Conselho Federal da OAB e Procurador Geral da República, entre outros”, ressaltou.

Ainda em discurso, Alex Barbosa agradeceu pela confiança da advocacia de Manhuaçu e região em tê-lo escolhido como presidente da OAB Manhuaçu e lembrou as conquistas ao longo dos seus seis anos de gestão. “Desenvolvemos projetos que entrarão para a história da 54ª subseção, como prova de vanguarda. Foram inúmeras lutas e conquistas. Momentos de lazer entre os advogados e advogadas de Manhuaçu e região, momentos também de sofrimento. Realizamos congressos, seminários, palestras em favor da mulher advogada, dos jovens e também dos mais experientes. Deixamos aqui a nossa marca de abnegação, dedicação, esforço, compartilhamento de ideias e diálogo com todos os setores da sociedade e com os poderes e autoridades públicos”.

O presidente lembrou ainda a maior de todas as conquistas, “que foi a aquisição da nossa sede própria. Um terreno amplo, próximo ao novo fórum, que permitirá no futuro a cada advogado e advogada, o exercício pleno e exitoso da atividade profissional. Deixamos a nossa contribuição à advocacia mineira. E, por isso, agradeço a cada um a confiança depositada em nosso trabalho”, concluiu.

Ao final, Alex Barbosa agradeceu a todos, em especial à toda diretoria atual, presidentes de comissões e conselho, e, em especial, ao presidente da Caixa de Assistência dos Advogados de Minas Gerais, Sérgio Murilo Diniz Braga, que não mediu esforços para contribuir com os avanços conquistados pela OAB Manhuaçu.

Visivelmente emocionado, o tenente-coronel da Policial Militar, que está na reserva, Alan Martins Salazar, sobrinho-neto do patrono da noite, agradeceu pela lembrança. “Este coração de 72 anos já não imaginava mais que passaria por tamanha emoção. Quando recebi uma ligação do presidente da OAB Manhuaçu, dizendo que seríamos homenageados, fiquei muito feliz e meu coração bateu mais forte. Obrigado a todos por lembrarem dele que, talvez, tenha sido o maior manhuaçuense da nossa história”, comentou Alan.

Foram 135 personalidades homenageadas pela OAB Manhuaçu com medalha e diploma. Ao final das homenagens, foi servido um delicioso jantar. O cantor Luciano Pimentel e banda abrilhantou a noite com as melhores do pop rock nacional e internacional.

Biografia de Alcino de Paula Salazar

Alcino de Paula Salazar nasceu em Manhuaçu (MG), no dia 18 de dezembro de 1897, filho de Vicente de Paula Salazar e de Rosa de Viterbo Sette Salazar.

Formou-se pela Faculdade de Direito da Universidade de Minas Gerais em 1919.

Eleito vereador em Manhuaçu, chegou a presidente da Câmara Municipal e, nessa qualidade, exerceu o cargo de prefeito de 1920 a 1930.

Professor, foi livre-docente da cadeira de direito administrativo da Faculdade Nacional de Direito da Universidade do Brasil em 1951.

Durante o governo de Carlos Lacerda (1960-1965), exerceu o cargo de secretário de Justiça do estado da Guanabara. Em dezembro de 1965, durante o governo do presidente Humberto de Alencar Castelo Branco, foi nomeado Procurador-Geral da República, substituindo Osvaldo Trigueiro. Com o final do governo Castelo Branco em março de 1967, deixou o cargo, sendo substituído por Haroldo Teixeira Valadão.

Foi Presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, entre 1958 a 1960.

Foi membro do Instituto dos Advogados Brasileiros e da Sociedade Brasileira de Direito Internacional.

Casou-se com Aglaura Coutinho Salazar, com quem teve cinco filhos.

Escreveu Responsabilidades do Poder Público por atos judiciais, Reparação do dano moral e Conceito do ato administrativo, além de diversos trabalhos jurídicos publicados na Revista Forense, na Revista de Direito Administrativo e na Revista de Jurisprudência Brasileira.

Assessoria de Comunicação / OAB Manhuaçu