dezembro 20, 2018 7:54 am

Homem traído obriga amante da esposa a cantar sertanejo e depois o mata




Se o orgulho do personagem da música “Jogado às Traças”, da dupla Zé Neto & Cristiano, caiu e o fez “arrastar o chifre no asfalto” após o término de um relacionamento, na vida real a história da música ganhou uma trágica continuidade em Caratinga.

Traído pela mulher, Gabriel Túlio Santos Assis Luiz, de 22 anos, foi atrás do amante dela, o torturou, obrigou-o a cantar a música e, em seguida, o matou com requintes de crueldade.

Juliano de Paula Rodrigues, 22 anos, (foto) foi morto a facadas e carbonizado no dia 11 de setembro deste ano, mas a Polícia Civil só conseguiu prender os envolvidos no homicídio nesta terça-feira, 18/12. Além de Assis, quatro menores foram apreendidos. Todos confessaram participação no crime.

Segundo o delegado Rodrigo Cavassoni, Assis se sentiu ofendido quando a companheira publicou em uma rede social uma conversa de cunho sexual com o amante.

Conforme o policial, o autor do crime se passou pela namorada e agendou um encontro com Rodrigues. Ciente de que o jovem era músico, Assis o amarrou e o fez cantar a música sertaneja até o local do crime, onde desferiu diversos golpes nele e, na sequência, o queimou.

“Foram covardes. Em nenhum momento mostraram arrependimento. Demonstraram desprezo com a vida humana”, afirmou.

Gabriel Túlio Santos Assis Luiz completou 22 anos um dia após matar o jovem Juliano de Paula Rodrigues. Segundo a Polícia Civil, logo após atear fogo ao corpo da vítima e deixá-la em uma plantação de eucalipto, em uma região de Caratinga, ele levou os quatro menores que o ajudaram para uma pizzaria.

Gabriel Túlio Santos Assis Luiz e os outros quatro menores que confessaram participação no crime não têm passagem pela Polícia Civil, segundo a corporação. Eles foram detidos em casa e não tentaram resistir à abordagem.

Mariana Nogueira – O Tempo