outubro 2, 2018 7:18 am

E-Social é tema no Café com Conhecimento do SENAC




Aprofundar os conhecimentos, possibilitando esclarecimentos diversos sobre o eSocial (Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais Previdenciárias e Trabalhistas) foi proposta do Café com Conhecimento realizado pelo SENAC Manhuaçu. Gratuita, a iniciativa reuniu expressiva participação de profissionais que atuam nas empresas (administradores, contadores, colaboradores, proprietários) e produtores rurais.
 
Na abertura do encontro, a Diretora do SENAC Manhuaçu, Joseane Pazelli, deu as boas vindas aos participantes. Ela destacou o trabalho constante do Serviço Nacional do Comércio em oferecer novos conhecimentos, por meio de cursos e palestras, ao empresariado e à população em geral, visando o desenvolvimento econômico e social. 
 
Também presentes, o Consultor de Negócios do SENAC, Gilvane Batista Hott, Dr. Valter Felipe Santiago e a Supervisora Juliana. 
 
A Roda de Conversa sobre o eSocial foi conduzida pelo Engenheiro de Saúde e Segurança do Trabalho, Anderson Moura. ‘O eSocial é um tema que está em evidência. Ele traz muitas mudanças para as empresas, e, praticamente tudo relacionado ao trabalhador será realizado através do e-social. A participação dos convidados foi ativa, tornando o encontro muito positivo’, comentou.
 
Sobre E-Social
 
A obrigatoriedade de adesão ao eSocial é para todas as empresas com faturamento anual de até R$ 78 milhões, exceto para micro e pequenas empresas e Microempreendedores Individuais (MEI), que passarão a integrar o sistema a partir de novembro. O sistema deve ser usado para registrar informações de empregados e de eventos como férias e horas extras.
 
O eSocial unifica o envio dos dados sobre trabalhadores em um site, permitindo que as empresas prestem as informações uma única vez. O sistema agrega em único envio, informações para os relatórios como: CAGED, GFIP, RAIS e Receita Federal. O objetivo é simplificar e consolidar as informações para os órgãos envolvidos, empregados e empregadores, além de reduzir a burocracia e melhorar a fiscalização das obrigações trabalhistas.
 
Thomaz Júnior